Restituição da nacionalidade portuguesa aos judeus sefarditas portugueses

Petição pela restituição da nacionalidade portuguesa aos judeus sefarditas portugueses

Os judeus sefarditas foram expulsos de Portugal ou forçados ao exílio a partir das perseguições de finais do século XV, continuando a considerar-se e a referir-se a si mesmos como “judeus portugueses” ou “judeus da Nação portuguesa”.
Presentemente, constituem um grupo pequeno, tendo alguns membros cidadania israelita, sendo que a maioria vive no Brasil na maior parte do tempo e correspondendo quase todos a indivíduos com educação de nível superior, em geral profissionais liberais e que, na maioria, falam mais do que o português.


Há muitos judeus sefarditas que aspiram a recuperar a nacionalidade portuguesa, de que se encontram privados mercê da expulsão e/ou exílio forçado dos seus antepassados.
A Espanha – que fez expulsões similares às ocorridas em Portugal – já adotou legislação, desde 1982, que permite a naturalização dos judeus sefarditas de origem espanhola ao fim de dois anos de residência em Espanha, à semelhança da norma aplicável a um conjunto limitado de origens específicas. E, em 2008, adotou a possibilidade por “carta de natureza” e atribuiu a nacionalidade espanhola, independentemente de residência, a judeus sefarditas, mercê unicamente de um conjunto de indicadores objetivos (apelidos, idioma familiar) e competente certificação pelo rabino da comunidade.
Os judeus sefarditas interessados em recuperar a nacionalidade portuguesa sublinham que outros países, como a Grécia, já adotaram legislação de reaquisição de nacionalidade por judeus expulsos e seus descendentes e que a própria Alemanha o fez, face à tragédia mais recente.
Portugal é dos poucos países, senão o único, que não dispõe de normas para reaquisição de nacionalidade pelos descendentes de judeus expulsos.
Assim sendo, nós, cidadãos portugueses, através dos signatários desta petição, vimos solicitar perante os Poderes constituídos da República Portuguesa , a restituição da nacionalidade portuguesa aos judeus sefarditas portugueses.

O pintor Baruch Lopes de Leão Laguna, judeu de ascendência portuguesa, considerado um dos mais representativos retratistas dos finais do século XIX e da primeira metade do século XX, foi assassinado pelos nazis em Auschwitz, a 19 de Novembro de 1943. A nacionalidade portuguesa podia ter-lhe salvo a vida.

4 comentários:

  1. Descobri que meu sobrenome é espanhol, e não portugues, e meus antepassados paternos são portugueses, e que o meu sobrenome na Espanha tambem foi adotado pelos judeus, e na lista portuguesa não existe o meu sobrenome. Em Portugal minha familia quase não existe e idem no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Descobri que meu sobrenome é espanhol, e não portugues, e meus antepassados paternos são portugueses, e que o meu sobrenome na Espanha tambem foi adotado pelos judeus, e na lista portuguesa não existe o meu sobrenome. Em Portugal minha familia quase não existe e idem no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Todos os meus sobrenomes foram adotados por judeus sefardita Dias e oliveira
    meu avo paterno tem Vieira e tem características de judeus
    Os únicos costumes que se acha dentro da minha família e por parte de pai meu avo nunca comeu sangue e por parte de mãe e sempre dar faxina na casa no sábado

    ResponderExcluir

Todo comentário será previamente avaliado antes do mesmo ser publicado.
Favor assinar com o seu endereço de email.
Obrigado.