Sobrenomes Sefarditas


Os judeus Sefarditas (do hebraico Sefardim, no singular Sefardi) são todos provenientes da Península Ibérica (Sefarad). foram por muitos séculos foram perseguidos durante o período da Inquisição Católica. E por este motivo, fugiram para países como Holanda e Reino Unido; além dos países do Norte da África e da América como: Brasil, Argentina, México e EUA; e desse modo, tiveram que seguir suas tradições secretamente como cripto judeus ou até mesmo abrir mãos das Tradições do Judaísmo, tudo em busca da sobrevivência. Sendo que alguns ainda tiveram que se converter forçadamente ao Cristianismo Católico. 
Neste caso, a partir da Inquisição espanhola de 1478 até 1834, em que Judeus e inúmeros outros indivíduos, foram julgados por possíveis atos contra os preceitos da Igreja. Sendo que os Judeus foram expulsos da Espanha no ano de 1492. (9 de AV) 



Sobre o 9 de AV:
  • A destruição do Primeiro Templo
  • A destruição do Segundo Templo
  • O império romano arou todo o Monte do Templo destruindo todo vestígio que poderia ser identificado do Templo
  • Édito de Expulsão dos Judeus de Espanha, pelos Reis Católicos, Fernando de Aragão e Isabel de Castela, em 1492.

Perseguidos e desamparados, os Judeus espanhóis tiveram que se refugiar em Portugal. Estando lá, foram feitos escravos, embora conquistassem a liberdade em 1495, beneficiados com a Lei promulgada por D. Manoel ao subir ao trono. Mas em 1496, assinou um acordo que expulsaria todos os Judeus Sefarditas (ou Marranos) que não se sujeitassem ao batismo Católico. Sendo que no ano seguinte, as crianças Judias de até 14 anos foram obrigadas a se batizarem e em seguida adotadas por famílias Católicas.
Com a descoberta das terras brasileiras em 1500, pela a esquadra de Cabral, a sorte de muitos Judeus mudaria. Pois em 1503, o Judeu Fernando de Noronha com uma considerável lista de Judeus, apresenta o projeto de Colonização a D. Manoel. Porém, o Povo Judeu ainda passaria por mais um triste episódio, quando em 1506, milhares de Judeus foram mortos e queimados pelo Progom da capital portuguesa. Além de tais Judeus (Cristãos Novos) terem presenciado o contraditório D. Manoel estabelecer a lei que dava os liberdade e os mesmos direitos dos Católicos, em 01 de março de 1507. O mesmo D. Manoel que em 1515 solicita ao papa um sistema de Inquisição. semelhante ao espanhol.
E desse modo, a solução para estes Judeus Marranos, foram a de aderirem ao movimento de Colonização do Brasil, quando em 1516, D. Manoel distribui ferramentas gratuitamente a quem quisesse tentar a vida na Colônia.
Em 1524, D. João III confirma a Lei de D. Manoel (de 1507), que consolida a lei de direitos iguais aos convertidos à força. No ano de 1531, Martin Afonso de Souza (aluno do Judeu Pedro Nunes), recebe de D. João III a autorização de colonizar o Brasil sistematicamente. Em que 1533, o mesmo funda o primeiro engenho no Brasil.
Durante um bom tempo, os Judeus passaram por inúmeras revira-voltas quanto a benefícios, confiscos, inclusive a morte. Porém, os mesmos gozaram de plena liberdade religiosa durante o domínio holandês de 1637 a 1644 (na gestão de Maurício de Nassau), quando fundaram a primeira sinagoga no Brasil, a Zur Israel. Mas, com a retomada portuguesa em 1654, os Judeus foram de fato expulsos e alguns migraram para outros países.
No período de 1770 a 1824, os Judeus passam por mais uma fase de aceitação; sendo que em 25 de maio de 1773, é estabelecida a abolição dos termos Cristãos Novos (Judeus) e Cristãos Velhos (Católicos), passando todos a terem os mesmos benefícios e sem distinções.
A partir de 1824 os Judeus Sefarditas ou Marranos, passam por um período de “assimilação profunda”, isto é, inicia-se uma fase parcial esquecimento de suas Tradições, devido a séculos de repressão e pelo contato direto e extensivo com uma cultura etnocêntrica, que mesmo os aceitando perante as leis, tratavam-nos com desprezo e repressão. A solução mesmo, partiu do pressuposto do esquecimento e sectarismo, o que permitiu com que várias gerações crescessem sem ter uma real noção de suas legitimas raízes.
Desse modo, estima-se que no Brasil, vivam cerca de um décimo (1/10) ou até mesmo 35 milhões de Judeus Sefarditas, entre eles os Judeus Asquenazitas (provenientes da Europa Central e Oriental).
Assim, segue-se abaixo uma lista com os principais sobrenomes Sefarditas habitantes da Península Ibérica, e no decorrer do continente Americano, a exemplo do Brasil:        

 Sobrenomes Judaico-Sefarditas oriundos das regiões portuguesas de Alentejo, Beira-Baixa e Trás-os-Montes:
Judiaria na região de Trás-os-Montes

Amorim; Azevedo; Álvares; Avelar; Almeida; Barros; Basto; Belmonte; Bravo; Cáceres; Caetano; Campos; Carneiro; Carvalho; Crespo; Cruz; Dias; Duarte; Elias; Estrela; Ferreira; Franco; Gaiola; Gonçalves; Guerreiro; Henriques; Josué; Leão; Lemos; Lobo; Lombroso; Lopes; Lousada; Macias; Machado; Martins; Mascarenhas; Mattos; Meira; Mello e Canto; Mendes da Costa; Miranda; Montesino; Morão; Moreno; Morões; Mota; Moucada; Negro; Nunes; Oliveira; Ozório; Paiva; Pardo; Pilão; Pina; Pinto; Pessoa; Preto; Pizzarro; Ribeiro; Robles; Rodrigues; Rosa; Salvador; Souza; Torres; Vaz; Viana e Vargas.
Sobrenomes de famílias Judaico-Sefarditas na Diáspora para Holanda, Reino Unido e Américas:
Abrantes; Aguilar; Andrade; Brandão; Brito; Bueno; Cardoso; Carvalho; Castro; Costa; Coutinho; Dourado; Fonseca; Furtado; Gomes; Gouveia; Granjo; Henriques; Lara; Marques; Melo e Prado; Mesquita; Mendes; Neto; Nunes; Pereira; Pinheiro; Rodrigues; Rosa; Sarmento; Silva; Soares; Teixeira e Teles.

Sobrenomes judaico-Sefarditas na América Latina:
Almeida; Avelar; Bravo; Carvajal; Crespo; Duarte; Ferreira; Franco; Gato; Gonçalves; Guerreiro; Léon; Leão; Lopes; Leiria; Lobo; Lousada; Machorro; Martins; Montesino; Moreno; Mota; Macias; Miranda; Oliveira; Osório; Pardo; Pina; Pinto; Pimentel; Pizzarro; Querido; Rei; Ribeiro; Robles; Salvador; Solva; Torres e Viana.
Principais exemplos de Sobrenomes extraídos do Dicionário Sefarad:
A – Abreu; Abrunhosa; Affonseca; Affonso; Aguiar; Ayres; Alam; Alberto; Albuquerque; Alfaro; Almeida; Alonso; Alvade; Alvarado; Alvarenga; Álvares/Alvarez; Alvelos; Alveres; Alves; Alvim; Alvorada; Alvres; Amado; Amaral; Andrada; Andrade; Anta; Antonio; Antunes; Araújo; Arrabaca; Arroyo; Arroja; Aspalhão; Assumção; Athayde; Ávila; Avis; Azeda; Azeitado; Azeredo; Azevedo; B – Bacelar; Balão; Balboa; Balieyro; Baltiero; Bandes; Baptista; Barata; Barbalha; Barboza/Barbosa; Bareda; Barrajas; Barreira; Baretta; Baretto; Barros; Bastos; Bautista; Beirão; Belinque; Belmonte; Bello; Bentes; Bernal; Bernardes; Bezzera; Bicudo; Bispo; Bivar; Boccoro; Boned; Bonsucesso; Borges; Borralho; Botelho; Bragança; Brandão; Bravo; Brites; Brito; Brum; Bueno; Bulhão; C – Cabaço; Cabral; Cabreira; Cáceres; Caetano; Calassa; Caldas; Caldeira; Caldeyrão; Callado; Camacho; Câmara; Camejo; Caminha; Campo; Campos; Candeas; Capote; Cárceres; Cardozo/Cardoso; Carlos; Carneiro; Carranca; Carnide; Carreira; Carrilho; Carrollo; Carvalho; Casado; Casqueiro; Casseres; Castenheda; Castanho; Castelo; Castelo Branco; Castelhano; Castilho; Castro; Cazado; Cazales; Ceya; Céspedes; Chacla; Chacon; Chaves; Chito; Cid; Cobilhos; Coche; Coelho; Collaco; Contreiras; Cordeiro; Corgenaga; Coronel; Correa; Cortez; Corujo; Costa; Coutinho; Couto; Covilha; Crasto; Cruz; Cunha; D – Damas; Daniel; Datto; Delgado; Devet; Diamante; Dias; Diniz; Dionísio; Dique; Doria; Dorta; Dourado; Drago; Duarte; Duraes; E – Eliate; Escobar; Espadilha; Espinhosa; Espinoza; Esteves; Évora; F – Faísca; Falcão; Faria; Farinha; Faro; Farto; Fatexa; Febos; Feijão; Feijó; Fernandes; Ferrão; Ferraz; Ferreira; Ferro; Fialho; Fidalgo; Figueira; Figueiredo; Figueiro; Figueiroa; Flores; Fogaca; Fonseca; Fontes; Forro; Fraga; Fragozo; Franca; Francês; Francisco; Franco; Freire; Freitas; Froes/Frois; Furtado; G – Gabriel; Gago; Galante; Galego; Galeno; Gallo; Galvão; Gama; Gamboa; Gancoso; Ganso; Garcia; Gasto; Gavilao; Gil; Godinho; Godins; Góes; Gomes; Gonçalves; Gouvêa; Gracia; Gradis; Gramacho; Guadalupe; Guedes; Gueybara; Gueiros; Guerra; Guerreiro; Gusmão; Guterres; H – Henriques; Homem; I – Idanha; Iscol; Isidro; J – Jordão; Jorge; Jubim; Julião; L – Lafaia; Lago; Laguna; Lamy; Lara; Lassa; Leal; Leão; Ledesma; Leitão; Leite; Lemos; Lima; Liz; Lobo; Lopes; Loução; Loureiro; Lourenço; Louzada; Lucena; Luiz; Luna; Luzarte; M –Macedo; Machado; Machuca; Madeira; Madureira; Magalhães; Maia; Maioral; Maj; Maldonado; Malheiro; Manem; Manganês; Manhanas; Manoel; Manzona; Marca; Marques; Martins; Mascarenhas; Mattos; Matoso; Medalha; Medeiros; Medina; Melão; Mello; Mendanha; Mendes; Mendonça; Menezes; Mesquita; Mezas; Milão; Miles; Miranda; Moeda; Mogadouro; Mogo; Molina; Monforte; Monguinho; Moniz; Monsanto; Montearroyo; Monteiro; Montes; Montezinhos; Moraes; Morales; Morão; Morato; Moreas; Moreira; Moreno; Motta; Moura; Mouzinho; Munhoz; N – Nabo; Nagera; Navarro; Negrão; Neves; Nicolao; Nobre; Nogueira; Noronha; Novaes; Nunes; O – Oliva; Olivares; Oliveira; Oróbio;P – Pacham/Pachão/Paixão; Pacheco; Paes; Paiva; Palancho; Palhano; Pantoja; Pardo; Paredes; Parra; Páscoa; Passos; Paz; Pedrozo; Pegado; Peinado; Penalvo; Penha; Penso; Penteado; Peralta; Perdigão; Pereira; Peres; Pessoa; Pestana; Picanço; Pilar; Pimentel; Pina; Pineda; Pinhão; Pinheiro; Pinto; Pires; Pisco; Pissarro; Piteyra; Pizarro; Pombeiro; Ponte; Porto; Pouzado; Prado; Preto; Proença; Q – Quadros; Quaresma; Queiroz; Quental; R – Rabelo; Rabocha; Raphael; Ramalho; Ramires; Ramos; Rangel; Raposo; Rasquete; Rebello; Rego; Reis; Rezende; Ribeiro; Rios; Robles; Rocha; Rodriguez; Roldão; Romão; Romeiro; Rosário; Rosa; Rosas; Rozado; Ruivo; Ruiz; S – Sá; Salvador; Samora; Sampaio; Samuda; Sanches; Sandoval; Santarém; Santiago; Santos; Saraiva; Sarilho; Saro; Sarzedas; Seixas; Sena; Semedo; Sequeira; Seralvo; Serpa; Serqueira; Serra; Serrano; Serrão; Serveira; Silva; Silveira; Simão; Simões; Soares; Siqueira; Sodenha; Sodré; Soeyro; Sueyro; Soeiro; Sola; Solis; Sondo; Soutto; Souza; T – Tagarro; Tareu; Tavares; Taveira; Teixeira; Telles; Thomas; Toloza; Torres; Torrones; Tota; Tourinho; Tovar; Trigillos; Trigueiros; Tridade; U – Uchoa; V – Valladolid; Vale; Valle; Valença; Valente; Vareda; Vargas; Vasconcellos; Vasques; Vaz; Veiga; Veyga; Velasco; Vélez; Vellez; Velho; Veloso; Vergueiro; Viana; Vicente; Viegas; Vieyra; Viera; Vigo; Vilhalva; Vilhegas; Vilhena; Villa; Villalao; Villa-Lobos; Villanova; Villar; Villa Real; Villella; Vilela; Vizeu; X – Xavier; Ximinez; Z – Zuriaga.
Desse modo, vemos claramente que os Judeus fazem parte de uma enorme frente de formação da Península Ibérica, Norte da África e América. O que nos coloca em contato direto com um contexto cripto-judaico.
Como confirmar a descendência judaica?
Evidentemente que, nem sempre aqui no Brasil, ter o sobrenome judaico lhe dá a condição de Judeu descendente. Pois, havemos de concordar, que o país passou por inúmeros casos concernentes a erros de sobrenomes, no que diz respeito a grandes falhas nos cartórios responsáveis pelo registro de nomes e sobrenomes.
Assim, a melhor opção para quem se identifica com um sobrenome Judeu, é observar os seguintes fatores:
Os casamentos entre familiares (pois era uma forma de manter os bens entre as famílias judias e os pontos de vista em comum);
Tradições de cunho ligado à cultura hebraica em relação ao Cristianismo (considerando que o Cristianismo para esses era seguido por aparências, pois ambos foram convertidos forçadamente à religião Cristã Católica);
O levantamento histórico-genealógico (para confirmar se houve ou não alterações nos sobrenomes ao longo das gerações).

CONCLUSÃO
Portanto, fica evidente a existência de uma grandiosa cripto-Comunidade Judaica na Península Ibérica (Portugal e Espanha), assim como nos países do continente americano (a exemplo do Brasil) e africano. E com isso, percebemos o quanto à segregação e o etnocentrismo promovem a destruição de princípios, gerando um “câncer” na liberdade individual e conjunta, como também, na tradição religiosa. O que aglutina ainda mais a odiosidade entre as Religiões e os Povos, que se distanciam ainda mais de possíveis e saudáveis diálogos baseados no bom senso.    

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DESCENDENTES DE JUDEUS DA INQUISIÇÃO. Cronologia histórica da etnia judaica Ibero-Brasileira. Disponível em:<http://ensinandodesiao.org.br/anussim/index.php?option=com_content&task=view&id=39&Itemid=29>. Acesso realizado em: 19 abr. 2009. 
CRUZ, Carla & RIBEIRO, Uirá. Metodologia cientifica: teoria e prática. 2ª ed. Rio de Janeiro: Axcel Books do Brasil, 2004.
LAMECH144. Judeus Anussins: nossa origem comum [mensagem geral: triangulodourado – yahoogrupos]. Mensagem recebida por <junior_jdk@hotmail.com> em 23 dez. 2007.
WIKIPÉDIA. Sefardita. Disponpivel em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Sefardita>. Acesso realizado em: 18 abr. 2009.
Contribuição de José Ribeiro da Silva Júnior.


27 comentários:

  1. tenho muita vontade de saber a historia dos meus sobre nomes sefardim e asquenaze e de que tribos eles saíram para formar esta famílias.
    meus sobre nomes: souza, brandão, amorim e o de origem Alemã é o stein, este quatros tenho certeza que são judeus, mas tenho outros dos
    quais não posso afirmar serem ou não judeus, são eles cristino subtil e giunco.
    o meu objetivo é restabelecer minhas raízes judaicas porque religiosamente já estou vivendo minha identidade de judeu.
    caso vocês não puderem me informar então me mostrem um caminho para tal informação. shalom!

    ResponderExcluir
  2. Shalom Chaver, a probabilidade matemática de de termos uma ascendência judaica é muito maior que você pode imaginar, pois a inquisição na Espanha/Portugal e consequente expulsão dos judeus da Península Ibérica está diretamente associada ao descobrimento do Brasil em 1500 e a posterior colonização. A presença holandesa no Brasil em 1630-1654, fez ainda do Nordeste um "território" judaico. As fontes do IBGE apontam de 50 a 70% de ascendência judaica na formação do povo brasileiro, embora para que se tenha um resultado fidedigno, seria preciso fazer um teste de DNA em uma amostragem grande da população. Israel já despertou quanto a isso pois é muito grande o número de B'nei Anussim desejando o retorno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shalom chaver, fico feliz pela informação que o amado me forneceu, portanto o meu muito obrigado.
      mas quanto ao exame de DNA, gostaria de poder fazer, tenho uma pesquisa dos sobre nomes da minha família onde eu pude ter a convicção que realmente tenho ascendência judaica, mas, mesmo assim gostaria de fazer este exame, o eterno tem falado em meu coração desde os meus 12 anos que eu era judeu,as vez achava que era coisa da minha cabeça. antes de saber! eu amava muito israel! hoje, eu amo mais ainda.
      Motivo principal do meu interesse em fazer este exame, é recuperar as minhas raízes judaicas.

      Excluir
    2. Shalom Luiz Carlos,estava respondendo o Alexandre (abaixo) e percebi que não tinha respondido a sua questão(desculpe). O que respondi para ele é a sua mesma questão. Onde você pode tirar todas as dúvidas, agregando detalhes preciosos de sua árvore genealógica é no Family Tree DNA. Eles enviam o kit para você coletar o material (raspando o interior da bochecha) e enviar para eles. Dê uma checada no site: http://www.familytreedna.com/
      caso você queira saber um pouco sobre o nome de sua família, esse site ajuda a saber onde seu sobrenome foi mencionado e quantas vezes:http://www.nameyourroots.com/

      Excluir
  3. Shalom Alexandre, onde você pode tirar todas as dúvidas, agregando detalhes preciosos de sua árvore genealógica é no Family Tree DNA. Eles enviam o kit para você coletar o material (raspando o interior da bochecha) e enviar para eles. Dê uma checada no site: http://www.familytreedna.com/
    caso você queira saber um pouco sobre o nome de sua família, esse site ajuda a saber onde seu sobrenome foi mencionado e quantas vezes:http://www.nameyourroots.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo
      Boa noite !
      Como eu sendo mulher posso ser uma judia retornada?
      Sou da Família Andrade e um parente nosso conseguiu retornar.
      Ele era parente do Deputado Paes de Andrade que era primo legitimo da minha mãe Maria Stelita de Andrade Serra Azul, eu tenho conhecimento de parte de nossa genealogia. Poderia me orientar? Obrigada

      http://www.uniblog.com.br/fisba/

      Excluir
    2. Ricardo meu email para contato
      liaserrazul@gmail.com

      Excluir
  4. Ricardo me interessei muito pelos seus comentários e respostas. Vou procurar tb minhas origens no famitreedna e nameyourroots que com certeza vou achar algo, visto a mistura no meu nome, abs. Roberto Pereira Franco da Fonseca. PS Quem sabe não sou parente do primeiro Rabino em Recife ?

    ResponderExcluir
  5. O sobrenome Alexandre pode fazer parte dessas listas?. Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. miguez e um sobrenome judaico e nao vi ai na lista

    ResponderExcluir
  7. estive fazendo um trabalho na escola a respeito de Israel e vi que meu sobrenome Rangel pode ter origem judaica, meus bisavós são portugueses, gostaria de saber se é possível ter uma ideia de qual das 12 tribos posso pertencer ? alguém pode me ajudar ?

    ResponderExcluir
  8. estive fazendo um trabalho na escola sobre israel e vi que meu sobrenome Rangel pode ser de origem judaica, tem como eu saber qual das 12 tribos esse meu sobrenome pertence e se ele é mesmo de origem judaica? alguem poderia me ajudar?

    ResponderExcluir
  9. Oi Ricardo! Shalom! sou baiana e os sobrenomes da minha família são: Gomes de Sá, Ferreira da Silva, Moreira Pinto e Bispo Dias. Meu avô paterno era português e se chamava Matheus Luís Dias,meu bisavô materno também era português e se chamava Joaquim Moreira Pinto e meu tataravô materno também português e se chamava Pedro Gomes de Sá. Será que sou descendente de judeus? gosto muito de Israel e me identifico com o povo judeu. Um abraço.
    Rita de Cássia Dias de Brito.
    E-mail: fazendapedraalta@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. Como consigo chegar ao ponto de saber qual tribo sai? Tentei fazer uma arvore mas só consegui chegar aos avós de meus avós. Se alguém puder me ajudar nessa procura ficarei grato. Minhas familias são Oliveira, Vasconcelos, Alves, Rocha, Leite, Cardoso, Ramos, Santeiro, Barbosa e Sousa. acho que mais ou menos isso.
    meu e mail é pedrocaleb@hotmail.com e o whatzzap é 64 9958 6838

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se de fato Você tiver origem na raiz hebreia , certamente seu sobrenome tem uma historia, registrada em algum ligar que vai dar em algum parente proximo a você, consegui até meus de meus anseistrais até meus tataravôs pos de meu bisa pra cá já não ha historia salvo pelos livros de registro então fiz 2 caminhos o do psssado do nome até a historia mais recente e de mim até o mimo que eu pderia chegar e consegui indentificar minha origem judaista, fiz outra pesquisas para encontrar o tribo de origem o que leva mais tempo, mais um caminho breve seria você primeiro identificar se seu sobrinome é altentico e dpois apele pela heraldica isso é para os brazões da familha eles podem acuzar a tribo, em meu caso sou um misto de jud´s com benjamim.
      boa sorte em sua pesquiza

      Excluir
  11. Meirelles também tem origem judaica e não vi na lista.

    ResponderExcluir
  12. Meu bisavõ que era português tinha o sobrenome Meirelles do Couto. Vi Couto na lista mas não vi Meirelles. Gostaria de saber o motivo. meu email :friendsfogao@gmail.com

    ResponderExcluir
  13. minha familia tem sobre nome azevedo mendes pinheiro lopes alves araujo bisavos e avos alguns vindo do ceara aracati gostaria muito te uma informaçao solida se so os sobre nome nao lhe garante se um anussim

    ResponderExcluir
  14. minha familia tem sobre nome azevedo mendes pinheiro lopes alves araujo bisavos e avos alguns vindo do ceara aracati gostaria muito te uma informaçao solida se so os sobre nome nao lhe garante se um anussim

    ResponderExcluir
  15. sou judeu meu avô judeus minha avó também meu nome completo Claudio da Silva Quadros parte minha mãe e Caetano santos Macedo lemos gostaria sabe mais informação claudioqua@gmail.com

    ResponderExcluir
  16. Boa noite,meu nome é Jorge Luis Gisler Puhl.Acrediti,pelo que tenho pesquisado, que esses sobrenomes não são Judeus, mas minha avó paterna se chamava Otilia Stein Puhl e minha vó materna Nadir Soares Gisler.Os sobrenomes Stein e Soares podem ter alguma raiz Judia? Como faço para descobrir?

    ResponderExcluir
  17. Shalom! Estudo Judaísmo e frequento Clube B'nei Noach em SP.
    Minha avó tem Almeida e Ribeiro na Família, o interessante é que minha avó alterou o sobrenome dela!
    O irmão dela é Jonas Ribeiro, e a esposa dele é Neusa Almeida, os dois são primos, e quando o Irmão dele morreu, ele lavou o corpo, e em seguida o vestiu, meu Pai estava junto e até ajudou. Este meu tio é irmão da minha avó que é mãe da minha mãe...
    Ja o Pai da minha mãe se chamava Ernestino Alves Queiroz, Ví na lista os 4 sobrenomes!
    Quero saber como faço para me aprofundar mais sobre o assunto?

    Agora o meu Pai tem o sobre nome Nunes, sei que o Pai do meu vô venho de Portugal, e o meu vô nasceu em Bragança Paulista se eu não me engano, tinha terras em MG, onde foi casado com minha avó, Eugenia Rosa de Oliveira, o meu vô se chamava Virgilino Nunes Eleuterio. Ví que Nunes também esta na lista! Eu tenho em mente a conversão, se eu tiver descendência quero retornar!
    O que devo fazer para me aprofundar em minhas pesquisas?
    Todá Raba!

    ResponderExcluir
  18. Shalom! Estudo Judaísmo e frequento Clube B'nei Noach em SP.
    Minha avó tem Almeida e Ribeiro na Família, o interessante é que minha avó alterou o sobrenome dela!
    O irmão dela é Jonas Ribeiro, e a esposa dele é Neusa Almeida, os dois são primos, e quando o Irmão dele morreu, ele lavou o corpo, e em seguida o vestiu, meu Pai estava junto e até ajudou. Este meu tio é irmão da minha avó que é mãe da minha mãe...
    Ja o Pai da minha mãe se chamava Ernestino Alves Queiroz, Ví na lista os 4 sobrenomes!
    Quero saber como faço para me aprofundar mais sobre o assunto?

    Agora o meu Pai tem o sobre nome Nunes, sei que o Pai do meu vô venho de Portugal, e o meu vô nasceu em Bragança Paulista se eu não me engano, tinha terras em MG, onde foi casado com minha avó, Eugenia Rosa de Oliveira, o meu vô se chamava Virgilino Nunes Eleuterio. Ví que Nunes também esta na lista! Eu tenho em mente a conversão, se eu tiver descendência quero retornar!
    O que devo fazer para me aprofundar em minhas pesquisas?
    Todá Raba!

    ResponderExcluir
  19. GOSTARIA DE SABER SOBRE FAMÍLIA "" CORRÊA LEITE""

    ResponderExcluir
  20. Meu nome é José Alonço Carneiro. meu võ paterno josé senra caneiro da galíci, minha vó eudoxia romana pferreira pena descendente de espanhoís. materno meu vô josé esteves de Paula, minha vó noemia Mauro(mauro calabres) bisavós, josé alonço senra carneiro bisavó aurora senra alonso, josé esteves, bisavó maria martins neves da região de são joão del rei santa rita do ibitipoca, e Hemilia teodoro dos santos de Bon sucesso Minas Gerais.

    ResponderExcluir

Todo comentário será previamente avaliado antes do mesmo ser publicado.
Favor assinar com o seu endereço de email.
Obrigado.